20 de agosto de 2019

Vício da Semana|Social Cues

Olá garotada! Sabem quando uma coisa que você adorava fazer antes acaba se tornando exaustiva e insuportável? Aquela pessoa que você adorou no momento em que conheceu mas acabou notando que era mó enganação e que na verdade ela é uma cobrinha? E a decepção com as pessoas que já eram suas amigas à quase cem anos? É amigos, não tá fácil por aqui, e vocês como estão?

No post de hoje eu vim trazer minha atual banda preferida, Jonas e Strokes nunca saem do topo, mas eu sempre tenho uma banda que vira xodózinho.

Cage The Elephant é o nome da banda americana, mas especificamente de Kentucky, estão na ativa desde 2006. Em 2017 eu tive a honra de poder assistir ao show deles no Lolla e meu deus eles não tem defeitos, é isto.


SOCIAL CUES
É o nome do mais recente álbum de estúdio da banda, lançado em Abril desse ano.


Não existe um álbum da Cage que eu não goste, na verdade depois de varar todas as músicas, b-sides e covers, gente, não existe nada ruim deles, é de cair o queixo! Social Cues é um pouquinho mais pesado que o último álbum lançado (Tell Me I'm Pretty) e vem todo trabalhado na psicodelia e no garage juntos. Além de trazer Beck, que pra mim é um cara que é simbolo da música alternativa, muito amor da minha vida! Eles estão juntos na nova turnê, não sei se vai vir pro Brasil mas se vier eu preciso ficar rica agora mesmo!


O primeiro single e clipe do álbum é o Ready To Let Go, antes de ver o clipe eu já via que a música tinha potencial total de single, assim como Social Cues, que é o segundo single (se o próximo for Tokyo Smoke vai ser perfeito mds). Vou deixar de final o clipe maluco de Ready To Let Go e o audio de Tokyo Smoke, porque que música incrível de maravilhosa.


15 de agosto de 2019

Filmes da Semana|Baseados em Fatos Reais

Olá galeris, eu queria fazer uma intro contando sobre a minha vida super movimentada, minhas viagens internacionais, cirurgias plásticas bem sucedidas, lanches topes, etc. Porém minha vida continua a mesma coisa, quem sabe da próxima.

ELEFANTE (2003)
Sendo bem sincera com vocês eu tive que pesquisar o porque do filme se chamar Elefante porque não consegui descobrir sozinha, o diretor do filme Gus Van Sant se inspirou em um curta do diretor Alan Clarke de 1989 com o mesmo nome (Elephant), no curta a referência era ao conceito de "um elefante num quarto" algo que chama tanta atenção que não dá pra ignorar. (Fonte: adoro cinema).


O filme de 2003 é inspirado no massacre de Columbine, ocorrido em 1999 na Columbine High School, no Colorado, onde os alunos seniors Eric Harris e Dylan Klebold assassinaram à sangue frio 12 alunos e 1 professor, além de deixar 21 alunos feridos, não vou entrar muito em detalhes sobre o massacre original porque a história é imensa, mas se você não tem problemas em ler coisas perturbadoras e bizarras, eu acho tudo bem escroto mas gosto de ler sobre todos os tipos de casos, se você é assim como eu, vale à pena pesquisar. 
Elefante se passa numa escola, claro e nós conhecemos a rotina simples de alguns alunos e professores, nada muito profundo e tudo de forma aleatória até um personagem se encontrar com o outro. No filme podemos ver os dois garotos esperando calmamente suas armas chegarem dos correios e um deles jogando no notebook, um jogo de tiro onde todas as vítimas estão de costas (os assassinos reais eram fãs de Doom, um jogo onde o personagem principal é um fuzileiro espacial). 
O filme não tem dramas, é todo muito focado na temática, os atores em sua maioria eram apenas adolescentes comuns, inclusive seus nomes no filme são seus nomes reais. Sem muitos diálogos, o filme é super visual! Esse é um dos primeiros filmes do gênero que eu assisti e gostei bastante, você não vai se emocionar, nem chorar (uns sustinhos pela frieza dos assassinos, isso tem), mas prometo que não vai se arrepender!

ZODÍACO (2007)
Diferentemente do primeiro filme citado, os protagonistas desse filme são todos filhos de hollywood, meus 3 atores preferidos num filme só, nada que eu pudesse pedir mais! Jake Gyllenhaal, Mark Ruffalo e Robert Downey Jr estão focados em encontrar o serial killer que se intitula Zodíaco.


Eu, como fã de um bom mistério, já adorei o filme de cara por saber que eram fatos reais! O filme começa em 1969, com o primeiro assassinato cometido, depois disso é só ladeira abaixo, o assassino além de ligar pra policia sempre que acaba de cometer o crime, deixa coisas escritas no local e começa a enviar cartas escritas com detalhes sobre os crimes e charadas escritas em código para o jornal San Franscisco Chronicle, onde trabalham Paul Avery (RDJ) que é um repórter policial e Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal), um cartunista político. Ninguém do jornal leva Robert muito à sério por ele ser cartunista, mas ele fica muito focado em resolver as charadas e ajudar de alguma forma, quando Paul nota que ele realmente sabe o que está fazendo, começa a dividir tudo o que sabe com Rob (bem intima).
Dave Toschi (Mark Ruffalo) e Bill Armstrong (Anthony Edwards) são detetives da policia de São Francisco, são designados para a investigação que vai trazer mais altos e baixos para a carreira deles. É só o que eu posso falar, senão perde a graça, hahaha! O filme é meio grandinho, mas quando você tá assistindo passa tão rápido que dá raiva! 
Para saber mais sobre o assunto você pode por exemplo assistir o vídeo que a Jac elaborou sobre ele à tempos no canal dela, onde todas as quintas são misteriosas! LINK AQUI!




13 de agosto de 2019

Vício da Semana|Happiness Begins

Olá moçada! Hoje eu acordei com 87 anos, dor nas costas, sono sem fim e fome eterna, mas eu acordo assim todo dia, fazer o que. No post de hoje eu vim trazer uma pequena mentirinha pra vocês (hihihi), apesar do álbum novo dos Jonas ser meu vício desde o dia 7 de junho, me senti muito amada porque foi praticamente um presente esse álbum ser lançado um dia depois do meu aniversário que foi dia 6, mas essa semana o álbum que eu ouvi sem parar foi outro, que provavelmente vai ficar pra próxima semana, porque hoje tem clipe novo, é dia de Jonas, iha!


Eu gosto muito de contar minha história de fã sempre, sobre eu amar esses bumbuns tanto desde 2007/2008, sobre eles serem a razão da minha vida durante muitos anos e blablabla, um dia eu faço um post só pra isso, hoje eu preciso de foco hahaha!

Hapiness Begins chegou esse ano cheio de músicas novas e acompanhado de um documentário chamado Chasing Happiness, que eu chorei muito (MAS MUITO MESMO) assistindo!
Este é o quinto álbum dos meus meninos, lançado após longos 10 anos de espera desde o último álbum de estúdio (Lines, Vines and Trying Times).
Acompanhando eles sempre pelo twitter e pelo insta eles já tinha dado várias dicas sobre a volta deles, a ansiedade chegava à doer (AAAAAAAA), até eles finalmente lançarem Sucker, primeiro single do álbum.


Sucker foi sucessão mesmo, foram incluídas as 3 sisters no clipe, as sortudas das esposas (poxa deux, eu só queria o Joe Jonas). Depois disso foi só alegria, já sabia que ia chegar álbum só com músicas novas, que eu iria amar todas (criando expectativas desde 1995), deu tudo certo, amém! Depois de Sucker veio Cool (que eu gosto bem mais que Sucker, confesso) e hoje foi lançado o vídeo de Only Human, que estava escrito nas estrelas que seria o novo single! Agora é só continuar minha vidinha de fã esperando a turnê passar pelo Brasil, cruzem os dedos comigo!




31 de julho de 2019

Filmes da Semana|Superação

Olá galerinha, vocês já fizeram uma besteira tão catastrófica que tiveram dificuldade até pra encarar sua vida? aaaaa pelo amor de deus, alguém me mata.

O Que Te Faz Mais Forte
Baseado em fatos reais, mais especificamente baseado no livro escrito por Jeff Bauman. Jeff (Jake Gyllenhaal) é um rapaz comum que faz umas cagadas normais da vida e acaba com seu namoro indo e voltando várias vezes, numa tentativa de reconquistar o amor da sua vida, ele faz um cartaz fofinho e vai pra linha de chegada da Maratona de Boston de 2013 esperar sua amada, que estava participando da corriga (coisa que ele nunca tinha feito), infelizmente ocorre um ataque terrorista e uma das bombas explode do seu lado, ele acaba perdendo as duas pernas na hora. O filme trata de sua adaptação da nova vida, problemas com álcool e como ele recupera o poder de controle da sua vida, emocionante, você vai chorar com certeza, não tenha a menor dúvida.


Uma Razão Para Viver
Também baseado em fatos reais, o filme se passa a partir de 1958 e conta a história de Robin (Andrew Garfield), um jovem bem aventureiro que acaba perdendo todos os movimentos do pescoço pra baixo devido à poliomelite. O jovem desenganado e sem vontade de viver acaba tendo uma ideia e com ajuda da sua esposa e amigos ele cria uma cadeira que vai permitir que ele saia da maca do hospital e possa viver novamente, o filme mostra com muita clareza a forma em que as pessoas com deficiência eram tratadas na época e como evoluímos e podemos evoluir mais à cada dia. O filme é produzido pelo filho de Robin, Jonathan Cavendish, produtor também de uma das minhas trilogias favoritas, da Bridget Jones.


29 de julho de 2019

Vicio da Semana|Declan Mckenna

Boa tardezinha pessoal, ontem eu passei o domingo inteiro trabalhando, fiquei assistindo Agentes da S.H.I.E.L.D até as 3 da manhã sem sono e tive que acordar 6:40 pra dar banho na Luna e arrumar ela pra escola, a vida NÃO é justa com o proletariado, este é o desabafo do dia, obrigada.

Declan Mckenna
Quem me conhece sabe que eu tenho uma quedinha por bandas inglesas (ah, pelo amor de deux, você nunca prestou atenção nesse sotaque mais lindo do mundo aaaa), eu estava bem cuidando da minha vidinha ouvindo algo no youtube e fiquei bem curiosa quando vi nas sugestões uma música intitulada "Brazil", aí coloquei pra tocar e vi o vídeo mega psicodélico (coisa que também amo), todo locão, dá vontade de assistir mil vezes seguidas, este já era Declan.

Em 2015 Declan entrou no Glastonbury Festival's Emergenging Talent Competition, venceu e assinou com a Columbia Records. O garoto sempre foi inteligente para um c**alho, estudou níveis avançados em literatura inglesa, sociologia e filosofia, antes da carreira musical tomar conta da sua vida, suas letras sempre tem significados pesados. O seu primeiro sigle Brazil é um hit anti-fifa, ele critica o fato da escolha do nosso país para sediar a copa, "ignorando a pobreza extensa e profunda que afeta a população" (na wikipédia está escrito assim, mas tem alguns vídeos no youtube confirmando o fato).


O segundo single do cantor, intitulado "Paracetamol" é uma sobre como adolescentes transgêneros são deturbados pela mídia, em uma entrevista a Sound Of Boston ele explica que o motivo de ser Paracetamol é pela cresça de mudar alguém que ela é através de uma "cura". Após Paracetamol, Declan lança Isombard, que é sobre os ancoras de direita da Fox News e como eles sempre justificam a brutalidade policial. Seu primeiro álbum "What Do You Think About The Car?" foi lançado em 2017 e sério mesmo, só tem música boa! Minha música peferida do álbum felizmente tem clipe, vou finalizar essa história (quase inteiramente pesquisada da wikipédia, as always) com ela.

Veja também: Plugin for WordPress, Blogger...